quinta-feira, 29 de maio de 2014

'terra'

a luz está fraca.* meus olhos estão fracos.* meu coração está fraco.* necessito comer terra para fortalecer o que está moribundo.* comendo a terra, não terei a necessidade de estar parada sobre ela, nem de escravizá-la.* nem, tampouco, ser sua escrava.* eu a ingerindo, me torno ela.* e ela, se torna eu. *

2 comentários:

FANNY disse...

gostei mas quero mais... esse poema deveria estar maior...mais comprido... mas amei! AGUA TERRA... cadê AR e sobre tudo FOOOOGOOOOO!

liana keller disse...

Verdade, Fanny....as entrelinhas estão cheias...em breve tem mais ;-)
(e fogo...sim...fogo...)